Alguns apontamentos sobre os algares A102A e A102B

4 de Janeiro de 2015

Introdução
​​​​
Foi a 4/1/2015 que durante uma atividade de verificação do cadastro do grupo de São Bento, realizada pelo GEM, se visitou o ponto marcado como A102. O ponto fica situado numa vertente de uma dolina com largas dezenas de metros de diâmetro, mas de vertentes pouco inclinada. O ponto foi fácil de encontrar já que se tratava de uma depressão coberta de blocos, possivelmente ali postos para tapar o buraco.

Apesar de não se ver nenhuma entrada clara, o grupo deitou mão à obra e, entusiasmados, removeram os blocos dando acesso a uma primeira gruta denominada de A102A. A gruta não apresentava sinais de qualquer equipagem anterior nem de ter sido explorada anteriormente. A exploração e topografia coube aos espeleólogos, por ordem alfabética: Alexandre Leal (GEM), Andreia Monteiro (LPN-CEAE) e Sandra Lopes (LPN-CEAE). Rapidamente se percebeu que o poço tinha umas dezenas de metros de profundidade e o grupo desceu entusiasmado.

Cá fora o resto da equipa dividiu-se em duas tarefas: Alexandra Leal montou o abrigo para proteger os futuros espeleólogos mais jovens do país da chuva que se avizinhava, e os restantes, por ordem alfabética: Carolina Camelo (GEM), José Marques (GEM) e Paulo Rodrigues (GEM/NALGA) dedicaram-se a alargar um outro buraco situado na ponta da depressão oposta à do Algar A102A. Este buraco deu mais luta a abrir, mas depois de um par de horas de muito suor e muita pedra tirada, esta equipa lá abriu o buraco sobre uma chuva que entretanto se tornara intensa. A gruta foi finalmente descida e topografada pela equipa que se dedicou à desobstrução.

Localização
​​​​
Os algares ficam situados perto da localidade de Moita do Açor, próximo de São Bento, no planalto de Sto. António, no Maciço Calcário Estremenho.

Espeleometria
​​​​
O algar A102A revelou ter uma dimensão considerável com um desenvolvimento de 36m e uma profundidade de 32m, com o poço a alargar na sua parte terminal.

Já o algar A102B revelou-se o irmão mais jovem do anterior, as dimensões são bastante mais reduzidas, com apenas 4 m de desenvolvimento planimétrico e uma profundidade de 5 metros.

Pontas soltas
​​​​​
A depressão onde se encontraram estes dois algares pode ainda dar um terceiro, entre os dois algares que agora se conhecem, a desobstrução embora trabalhosa, não parece precisar de mais do que umas alavancas e suor.

Alguns apontamentos de geologia dos algares
​​​​​
Os algares segundo a Folha 27-A da Carta geológica de Portugal à escala 1/50000 encontram-se na formação de Calcários bioclásticos do Codaçal, formação datada do Batoniano (Jurássico Médio).

O algar A102B pode ser classificado com um colector “vadose shaft” de acordo com a definição de Baroñ, 2003. O controlo estrutural do desenvolvimento da gruta é feito por uma fratura de atitude aproximada N50-60W/Vertical. É muito provável que a génese do algar A102A seja idêntica e pela sua orientação, o seu desenvolvimento deve ser provavelmente controlado pela mesma fratura (N50-60W/Vertical) ou por outra da mesma família.

Topografias
​​​​​
As topografias de ambos os algares são apresentadas de seguida. De referir que as coordenadas do algar A102A estão em Datum WGS84, não estando por lapso esta informação na topografia da gruta.

Figura 1a – Planta do Algar A102A

Figura 1b – Perfil do Algar A102A

Figura 2 – Topografia do Algar A102B

Referências  bibliográficas

  • Manupella, G., Telles Antunes, M., Costa Almeida, C.A., Azerêdo, A.C., Barbosa, B., Cardoso, J.L., Crispim, J.A., Duarte, L.V., Henriques, M.H., Martins, L.T., Ramalho, M.M.; Santos, V.F.; Terrinha. P.; (2000). Carta Geológica de Portugal – Vila Nova de Ourém, Folha 27-A, á escala 1:50000, e Nota explicativa, Instituto Geológico e Mineiro, Lisboa.
  • Baroñ, Ivo (2003) – Speleogenesis along subv ertical joints: A model of plateau karstshaft development: A case study: the Dolný Vrch Plateau (Slovak Republic), Cave&Karst Science 29 (1), 2002, 5-12.  010
​​​​​​

Texto e geologia: Paulo Rodrigues
Topografia do Algar A102A: Alexandre Leal (GEM), Andreia Monteiro (LPN-CEAE) e Sandra Lopes
Arte final da topografia do Algar A102A: Sandra Lopes
Topografia do Algar A102B: Carolina Camelo (GEM), José Marques (GEM) e Paulo Rodrigues (GEM/NALGA)
Arte final da topografia do algar A102B: Paulo Rodrigues (GEM/NALGA)
INICIO​​​
TOP​O​​​​​​​​​
INDICE