Algar do Laçarote


Localização
23 de Abril de 2015
​​​​
O algar do Laçarote fica situado perto do algar da Bajanca, próximo da localidade de São Bento, no planalto de Sto. António, no Maciço Calcário Estremenho.
​​O algar é composto de um modo grosseiro por dois poços, o primeiro com cerca de 15m, a que se segue uma rampa que dá acesso a um 2º poço, que não foi nem descido, nem topografado. A conclusão dos trabalhos ficou para outras núpcias.

Alguns apontamentos de geologia do algar do Laçarote
​​​​
O algar do Laçarote, segundo a Folha 27-A da Carta geológica de Portugal à escala 1/50000, encontra-se junto do limite entre as formações de Calcários bioclásticos do Codaçal e de Calcários micríticos da Serra de Aire, ambas as formações estão datadas do Batoniano (Jurássico Médio) e são idênticas relativamente ao potencial de carsificação.

A gruta pode ser classificada com um colector “vadose shaft” de acordo com a definição de Baroñ, 2003. O controlo estrutural do desenvolvimento da gruta é feito por descontinuidades cujas famílias têm atitude N60W/Vertical, E-W/ Vertical e N20E/Vertical. A atitude local das camadas é E-W/4S.As paredes dos poços apresentam caneluras de dissolução típicas de “vadose shafts”.

Figura 1 – Algar de acesso (Foto: Vitor Amendoeira)

Figura 2 – Base do Algar de acesso (Foto: Vitor Amendoeira)

Topografia por Fotogrametria – Estudo no Algar do Laçarote
​​​​Aquando da recolha dos dados para a Topografia , foram igualmente recolhidas imagens do Algar, para a realização de um estudo de topografia alternativa – Topografia por Fotogrametria.
Após varias horas de intenso processamento fotográfico, obtiveram-se alguns resultados satisfatórios, mas ainda existe muito trabalho pela frente para afinar este método de realização de topografia.

Trabalho desenvolvido por Vitor Toucinho.

Figura 3 – Descida para a entrada onde se encontram os morcegos

Figura 4 – Exemplo de medidas no alçado lateral (a rampa da esquerda é a que dá acesso à galeria dos morcegos)

Figura 5 – Topografia do Algar do Laçarote

Referências  bibliográficas

  • Manupella, G., Telles Antunes, M., Costa Almeida, C.A., Azerêdo, A.C., Barbosa, B., Cardoso, J.L., Crispim, J.A., Duarte, L.V., Henriques, M.H., Martins, L.T., Ramalho, M.M.; Santos, V.F.; Terrinha. P.; (2000). Carta Geológica de Portugal – Vila Nova de Ourém, Folha 27-A, á escala 1:50000, e Nota explicativa, Instituto Geológico e Mineiro, Lisboa.
  • Baroñ, Ivo (2003) – Speleogenesis along subv ertical joints: A model of plateau karstshaft development: A case study: the Dolný Vrch Plateau (Slovak Republic), Cave&Karst Science 29 (1), 2002, 5-12.  010
​​​​​
Exploração e topografia: Andreia Monteiro (LPN-CEAE), Rosário Fernandes (LPN-CEAE) e Sandra Lopes (GEM/ LPN-CEAE)
Arte final: Sandra Lopes (GEM/CEAE-LPN)
Texto e geologia: Paulo Rodrigues
INDICE
INICIO​​​
TOP​O​​​​​​​​​